Viseu Esquerda

Centenário da República no Mercado 2 de Maio: Ópera, Tragédia e... Promessas de Redenção!

sábado, julho 03, 2010

Foi com algumas expectativas que fui assistir no passado dia 17 de Junho à estreia da CINCO - Ópera do Centenário da República. Confesso o meu enorme desapontamento. Tudo indicava que fosse um grande espectáculo. Afinal, o projecto tinha como autor Carlos Clara Gomes, responsável pelo libreto, música e encenação e produção da Companhia DeMente, que tem como princípio a participação de elencos voluntários locais mesclados com profissionais e o “esbater de fronteiras entre palcos e plateias, conferindo ao Público o estatuto de Ser Activo, Crítico e Participante.”

Uma desilusão. A Ópera, a apresentar em 2 partes e em 2 dias seguidos no Mercado 2 de Maio, começou logo da pior maneira: adiada por motivos técnicos, creio que relacionados com a produção do DVD a projectar. Assim, optou-se por um espectáculo de enfiada no dia seguinte, com mais de 3 horas de duração.

O espaço não era o melhor. O Mercado 2 de Maio não apresenta condições mínimas e era confrangedor ver os artistas a mudarem os figurinos em tendas. O som imperceptível apesar de a espaços se notar alguma qualidade no texto. Os microfones pareciam desligados ou mal colocados. A tela, onde se viam passar as imagens que ilustrariam os acontecimentos, a esvoaçar constantemente por não estar presa. No palco entravam actores quando não deviam. O seu contrário também: Playbacks sem ninguém a interpretar. As luzes muitas vezes falhavam o alvo. Confrangedor. Em vez de uma Ópera, saí com a ideia de ter assistido a uma tragédia.

Em conversas posteriores com alguns intervenientes deu para perceber o porquê de tantas falhas grosseiras. Afinal, o primeiro ensaio geral foi no próprio dia do espectáculo, durante o próprio espectáculo. Em sintonia com o costume também secular e tipicamente português de deixar tudo para o último minuto.

Mas foram os próprios a reconhecer a pobreza do espectáculo apresentado. E ficou a promessa de redenção. De Guimarães chegam notícias de que correu bastante melhor. Ou não. O que retenho sobretudo é a promessa de redenção com o agendamento para Viseu de um novo espectáculo. O Público merece. E os intervenientes também. E isso é de enaltecer. O reconhecimento do erro, e a tentativa de correcção. Afinal aprende-se a caminhar, andando, com muitos trambolhões à mistura. Eu estarei lá para mais uma oportunidade.

A República definha, bem sabemos, mas não merece tão fraca figura. Ópera, Tragédia e Redenção.

Tal e qual a história da própria, com a sua agenda modernizadora e secular até ao 28 de Maio, dia obscuro que apagou a chama do país durante uma longa noite de 48 anos, décadas após as quais o sol do havia de nascer, mesmo que por um dia, para todos nós. A 25 de Abril.

Tal e qual o próprio Mercado 2 de Maio que serviu como pobre palco. Das expectativas goradas do projecto de Siza Vieira à realidade da total inoperância e falta de dinâmica do mesmo, aos clamores por uma necessária remodelação, nem que seja pelo regresso ao passado, e que até já partem da própria Câmara Municipal de Viseu.

Humildade de quem sabe que pode e deve fazer melhor, são as lições que se retiram. E toda a solidariedade para quem se propõe a corrigir o caminho quando este se afigura mau ou errado.
Read On 2 comentários

A Agricultura que a Especulação Imobiliária permite: Hortas de Varanda!

quarta-feira, junho 30, 2010

Em Lisboa, depois do divórcio da cidade com as pequenas hortas que a rodeavam e a abasteciam de produtos frescos, começa lentamente a ressurgir um movimento em sentido contrário através do cultivo de terrenos baldios ou abandonados, experiências que pode ver aqui. Em Coimbra é o próprio município que o incentiva.

Em Viseu, esse problema nunca se pôs e a generalidade das pessoas tem acesso diário a legumes e fruta frescos a um preço razoável. Todos conhecemos um familiar, vizinho, amigo... a quem pedir/comprar batatas, cebolas, tomates, alfaces... E ainda bem.

Contudo, numa época em que a especulação imobiliária tende a "engaiolar" cada vez mais a sociedade, verticalizando-a na procura do c€u, a ligação entre o Homem e a terra vai-se perdendo e hoje muitas crianças (e graúdos) desconhecem por completo o ciclo da natureza que proporciona as refeições que diariamente poisam no prato.


Daí, uma boa alternativa a quem como eu vive num prédio mas possui algum espaço nas varandas, seja o cultivo em vasos dos mais variados produtos. Desenganem-se aqueles que já estejam a pensar na auto-suficiência. O rendimento não se assemelha obviamente ao de um quintal, e a água ou é pluvial ou canalizada, mas o processo mantém-se mais ou menos intacto entre o semear e o colher. E as devidas diferenças podem ser esmiuçadas aqui. As vantagens são óbvias e cada um retira as suas. Seja pela vertente pedagógica, seja pelo consumo de hortaliça e aromáticas frescas, seja pela tranquilidade inerente ao cultivo... Ao critério de cada um.

Espécies de pequeno/médio porte para plantar são inúmeras: alfaces, tomates, pepinos, pimentos, morangos, cebolas, hortelã, salsa, manjericão, manjerona, rabanete, rúcula, tomilho...

Só custa começar. Haja terra farta em nutrientes, vasos, sementes ou torrões, vontade e voilà.


O exemplo pessoal, está testemunhado nas fotos
espalhadas avulso pelo post. E fica a garantia de que pelo menos em alfaces, tomates, cebolas, salsa, pimentos e pepinos a colheita proporcionará as saladas mais frescas que um apartamento pode almejar. Um conselho: Se tiverem gatos, convém semear noutro vaso algumas das suas ervas predilectas, senão já sabem o destino das alfaces...















Read On 0 comentários

Blogues

Marcadores

O Melhor da Informação em pt

Stay Rude, Stay Rebel

Stay Rude, Stay Rebel
Stay rude against facist regimes, Stay rebel against politicians dreams, Stay rude and fight back injustice, Stay rebel against racial prejudice, Stay rude and stay cool, Stay rebel be nobodys fool, Stay rude against any command, Stay rebel take your life in your hand, Sharpskins remember their roots, Think with their brains not with their boots...

Author

E porque a democracia não se esgota na política e a cidadania no voto, este espaço está aberto a tod@s @s que queiram contribuir! Seja um texto ou uma imagem, um vídeo ou uma música, um poema ou um disparate!

Podem enviar para:Viseuesquerda@gmail.com


Video Esquerda

Loading...

Text Widget

Text Widget

Com tecnologia do Blogger.

Seguidores